top of page
  • Foto do escritorLuan Radney

Roger Waters: Setlist, polêmicas e o que esperar de shows no Brasil


Roger Waters (Foto: Reprodução/Instagram)



Cinco anos após a turnê Us + Them, Roger Waters retorna ao Brasil com shows que encerram sua carreira nos palcos. Apesar desse tipo de alarde já ter sido feito por artistas como Ozzy Osbourne — com a No More Tours, que ganhou sequência —, Waters garante que "isso não é um teste".


O ex-Pink Floyd lançou, no início de outubro deste ano, uma releitura do The Dark Side of the Moon, mas o foco da This Is Not a Drill não será a nova versão do álbum.


Roger Waters inicia a série de apresentações no país nesta terça-feira, 24, em Brasília. Em seguida, Rio de Janeiro (28 de outubro), Porto Alegre (1º de novembro), Curitiba (4), Belo Horizonte (8) e São Paulo (11 e 12) serão contempladas. Há ingressos disponíveis em todas as cidades.


Setlist

Música que antes encerrou os shows, "Comfortably Numb" deve abrir as performances de Roger Waters no Brasil. "Time" e "Mother" podem ficar apenas na lembrança de quem esteve em uma das apresentações do músico em 2018. O Wish You Were Here (1975), porém, deve ser mais privilegiado dessa vez: "Have a Cigar" e "Shine On You Crazy Diamond" (Waters tem variado as partes que toca) entraram na setlist.


No total, espera-se que os fãs assistam cerca de 20 músicas ao vivo, em show que provavelmente ultrapassará duas horas de duração e será dividido em dois atos. Dentre as canções, algumas da carreira solo do artista estarão presentes, como "The Bar" e "Déjà Vu".


Mas o público não precisa se preocupar sobre o que fazer com os celulares durante as faixas mais desconhecidas, pois Waters não desviará muito de The Wall (1979) e The Dark Side of the Moon (1973).



Audiovisual e protestos

Roger Waters promete entregar um espetáculo audiovisual, balanceando muito bem música, efeitos visuais e cenários. Em 2018, por exemplo, um porco inflável foi atirado à plateia e houve até quem levasse um pedaço dele para casa. Além disso, o prisma, usado nas aulas de física e na capa do The Dark Side of the Moon, foi formado por lasers sobre os fãs.



Show de Roger Waters em 2018 (Foto: Heloísa Lisboa)



Show de Roger Waters em 2018 (Foto: Heloísa Lisboa)



Neste ano, o público, naturalmente, estará mais preparado para lidar com o ativismo de Waters. Durante a última passagem pelo Brasil, ele fez críticas claras ao ex-presidente Jair Bolsonaro, que estava prestes a ser eleito, e ao ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump.


Já naquela época, Roger se posicionava contra o antissemitismo. No entanto, os protestos não amenizaram acusações na contramão do que defendeu em shows. Em meio à guerra entre Israel e Gaza, as denúncias não devem inibir o artista, que, como fez diversas vezes, defenderá a Palestina, ao mesmo tempo em que se colocará contra o antissemitismo.


Show de Roger Waters em 2018 (Foto: Heloísa Lisboa)


Show de Roger Waters em 2018 (Foto: Heloísa Lisboa)





0 comentário

Comments


bottom of page