top of page
  • Foto do escritorLuan Radney

Rock brasileiro morreria nos anos 1990 sem a MTV, afirma Nasi

Vocalista do Ira! discutiu como a filial brasileira da emissora americana foi importante para manter o estilo popular



Ninguém duvida da importância que a MTV Brasil teve no cenário musical brasileiro. Em sua versão original, operada pelo Grupo Abril, a emissora existiu entre 1990 e 2013 e foi por um bom tempo o principal veículo de comunicação sobre música no país.


Na visão de Nasi, a relevância da MTV foi ainda maior. Em entrevista ao site Igor Miranda, o vocalista do Ira! declarou que o rock brasileiro teria morrido na década de 1990 sem o canal de televisão.



O assunto foi abordado enquanto o artista refletia sobre o impacto dos trabalhos gravados pelo Ira! em parceria com a MTV. Primeiro, a banda lançou em 2000 o ao vivo MTV ao Vivo: Ira!. Quatro anos depois, foi a vez do Acústico MTV: Ira!, que se tornou o disco mais vendido da carreira do grupo, com 300 mil cópias comercializadas. Contudo, em vez de falar sobre os próprios méritos, o cantor destacou toda a imponência da cena em geral - em sua opinião, por conta da emissora.


“O manguebeat, todo o seu talento e a sua genialidade, não teria acontecido se não fosse a MTV Brasil. Não seria uma música que dominaria as rádios de pop/rock ou de qualquer outro gênero. O que tocava em rádio nos anos 1990? Sertanejo, lambada, pagode. Se não tivesse a MTV, o rock brasileiro tinha morrido nos anos 1990. A MTV deu esse gás não só para a geração de 1980, mas para a geração de 1990, também.”

Sucesso do Acústico MTV no Brasil

Ainda durante a entrevista, Nasi destacou o sucesso de toda a franquia Acústico MTV no Brasil. A iniciativa é derivada do MTV Unplugged, que começou nos Estados Unidos como um quadro da programação do canal.


Por lá, o projeto se desenvolveu a ponto de gerar lançamentos exclusivos que também bateram recordes de vendas. Para se ter ideia, o disco ao vivo mais vendido em toda a história da música é Unplugged, gravado por Eric Clapton em 1992 como parte do projeto: mais de 26 milhões de cópias em todo o mundo.




Aqui, o Acústico MTV rendeu best-sellers como os álbuns do Kid Abelha (cerca de 2 milhões de cópias), Titãs (1,7 milhão), Cássia Eller e Lulu Santos (ambos 900 mil). Considerando apenas um país, o Brasil, os números são impressionantes. E na visão do vocalista do Ira!, há uma explicação cultural.


“No Brasil se transformou num fenômeno porque o violão é o rei da música brasileira. Chorinho, samba, MPB, bossa nova. Então, o brasileiro, quando vê aqueles rock, como os do Ira!, sendo tocados em violão, fez com que [o Acústico MTV] virasse mainstream.”






0 comentário
bottom of page