top of page
  • Foto do escritorLuan Radney

Ringo Starr diz que os Beatles nunca recriariam voz de John Lennon com IA



O anúncio de que uma música inédita dos Beatles se valeria de inteligência artificial deixou parte dos fãs em polvorosa. Muita gente, a princípio, não entendeu a proposta por trás do uso da tecnologia na voz de John Lennon, achando que haveria algum tipo de recriação baseada nos registros deixados pelo ser humano.



Tanto Sean Lennon, filho do músico, quanto Paul McCartney já tinham vindo a público garantir que a IA seria utilizada apenas para limpar a faixa de forma mais precisa possível, especialmente por se tratar de um registro em fita dos anos 1970. Agora, Ringo Starr também se manifestou.


Em entrevista ao podcast Music Now, da revista Rolling Stone, o baterista deixou claro que os remanescentes da banda e os representantes dos falecidos jamais cometeriam tal atrocidade com seu legado.

“Jamais faríamos algo como disfarçar ou recriar a voz de John.”


Outra informação importante revelada por Starr é a participação de George Harrison. O guitarrista registrou suas partes antes de morrer, em 2001.


“É algo lindo. E é a última música inédita nossa que as pessoas ouvirão, podem ter certeza quanto a isso.”

Apesar de Ringo não ter revelado o nome da canção, a informação da participação de George praticamente sacramenta de que se trata de “Now and Then”. Registrada por Lennon em 1978, ela seria a terceira faixa inédita do projeto “Anthology”. Porém, a dificuldade de trabalhar com a tecnologia disponível nos anos 1990 impediu que ela entrasse no terceiro volume da compilação. Com isso, apenas “Free as a Bird” e “Real Love” foram incluídas.







0 comentário

Comentários


bottom of page