top of page
  • Foto do escritorLuan Radney

Mingau passa por traqueostomia e continua em estado grave



Mingau, baixista do Ultraje a Rigor baleado na cabeça no início do mês, precisou passar por uma traqueostomia — abertura frontal na traqueia. Segundo boletim emitido pelo Hospital São Luiz na última segunda-feira (11), o músico segue internado na UTI, respirando por ventilação mecânica.



De acordo com a equipe médica, apesar da gravidade do quadro clínico, o artista encontra-se estável e sua sedação continua sendo diminuída, como divulgado no domingo (10). Diz comunicado:

“O Hospital São Luiz do Itaim, da Rede D’Or, informa que o paciente Rinaldo Amaral (Mingau), segue internado em Unidade de Terapia Intensiva. Na tarde desta segunda-feira (11/9) foi realizado procedimento de traqueostomia (abertura frontal da traqueia com inserção de cânula). O paciente segue sob ventilação mecânica. Desde o último sábado (9/9), a equipe do setor de terapia intensiva do São Luiz vem reduzindo gradativamente as drogas sedativas. O paciente segue recebendo suporte clínico e o quadro permanece grave, mas estável.”

Primeiramente, na tarde seguinte à tragédia, Mingau foi submetido a uma cirurgia intracraniana de emergência, que durou cerca de três horas e meia. Depois, passou por um novo procedimento de craniectomia descompressiva, “com a finalidade de auxiliar no controle da pressão intracraniana”.



Mingau baleado


Mingau sofreu o atentado mencionado na noite do dia 2 de setembro em Paraty, Rio de Janeiro, quando estava com um amigo. O carro do músico foi alvejado por tiros, perdendo o controle e batendo em uma residência.


Inicialmente, o outro envolvido declarou à Polícia Civil que a dupla havia sacado dinheiro em um banco para fazer um lanche. Depois, ele mudou a versão para a Polícia Militar, reconhecendo que estavam indo buscar drogas, conforme apurado por órgãos de imprensa.



Em entrevista coletiva, foi revelado que o tiro que acertou o artista atingiu o lado esquerdo da cabeça, atravessou o cérebro e saiu do corpo. A área é responsável por coordenações motoras, além de fala e visão.


Ainda assim, o doutor Manoel Jacobsen não quis realizar qualquer prognóstico futuro, de acordo com o G1.

“É uma condição grave, mas nós temos que aguardar o tempo. A neurologia depende muito das habilidades do neurocirurgião, dos cuidados de UTI, mas também depende muito de condições individuais de cada pessoa.”

Após passagens por Ratos de Porão, Inocentes e Olho Seco, o músico entrou no Ultraje a Rigor em 1999, na vaga deixada por Serginho. Com as saídas em 2002 de Flávio e Heraldo, tornou-se o membro mais antigo ao lado de Roger a permanecer na formação, hoje completa por Marcos Kleine (guitarra, desde 2009) e Bacalhau (bateria, desde 2002).









0 comentário

Commentaires


bottom of page