top of page
  • Foto do escritorLuan Radney

Bruce Dickinson diz que tem ‘sorte’ de ainda ter seus agudos


Reprodução

 


Em entrevista para a Rock Antenne da Alemanha, o vocalista do Iron Maiden, Bruce Dickinson, foi questionado sobre como mantém sua voz em forma após tantos anos de turnês e gravações.


“Eu não sei. Em parte, provavelmente é a forma como sou feito. E então, grande parte é tentar cuidar das partes que você já tem. Além disso… Acho que a voz muda conforme envelhecemos. Quero dizer, não há dúvidas sobre isso, mas tive sorte de que a maior parte dos meus agudos ainda está aqui. E fazemos todo o show do Maiden na tonalidade original, todas as músicas e tudo mais. O que não quer dizer que uma ou duas músicas não sejam um desafio. Mas tenho uma novidade para você: elas sempre foram desafiadoras; quando eu tinha 25 anos, eram desafiadoras.”

 

Ele continuou: “O tom da minha voz mudou um pouco e, de muitas maneiras, gosto mais dela agora do que quando tinha 23 anos. Com 23, era brilhante e agudo. Sua voz se torna mais vivida. Você pode expressar mais emoção, carregar mais emoção. Por exemplo, há uma música no [meu próximo projeto solo] álbum [‘The Mandrake Project’] chamada ‘Rain On The Graves’. Eu não poderia ter cantado essa música quando tinha 22 anos da mesma forma. Então, é interessante ver como a vida emocional da voz se desenvolve ao longo dos anos. Então, é nesse tipo de território que estou trabalhando. Estou tentando ampliar o alcance emocional da minha voz, tanto quanto preservar o alcance físico ao mesmo tempo.”

Segundo o site Rock Brigade, Dickinson também falou sobre sua dieta e rotina de exercícios e como isso afeta sua voz.


“Talvez tenha mudado algumas coisas mínimas na minha dieta. Não como tanto pão, mas principalmente porque minha esposa é francesa, então estou totalmente integrado aos hábitos do pão francês. E prefiro não comer pão do que comer porcaria, como pão industrializado. Então estou convencido dessa ideia. Na verdade, como muito menos pão e tento consumir um pouco mais de proteína do que costumava. E às vezes vou à academia e levanto uns pesos. E ainda pratico esgrima, e acho que as pessoas não percebem o quão físico é esse esporte, porque você está coberto de branco e usando uma máscara. Então é como as pessoas dizem: ‘Pilotos de Grand Prix, eles não fazem muito esforço, não é?’ Porque estão todos cobertos com macacão e têm um capacete, mas estão perdendo sei lá quantos quilos de água. Eles trabalham fisicamente muito duro. E a mesma coisa no palco.


Quero dizer, no palco com o Maiden, perco cerca de três litros de água durante um show. Provavelmente bebo um litro e meio ou dois litros durante o show. Então, quando volto para o meu quarto de hotel, ainda estou um litro abaixo do que deveria, então gradualmente recupero isso. Como cantor, porque canto com o diafragma e todas as coisas boas que você deve fazer, não é bom se você jogar um litro inteiro de água no seu estômago.”




0 comentário

Comentários


bottom of page