top of page
  • Foto do escritorLuan Radney

YouTube diz que não irá proibir músicas geradas por IA e revela como pretende proteger artistas



A inteligência artificial chegou para ficar e diversos mercados vêm tentando se adaptar da melhor forma às consequências que esta tecnologia em específico provoca no que tange à propriedade intelectual e aos direitos autorais.


Segundo o site Tenho Mais Discos Que Amigos, o YouTube, por exemplo, organizou um conjunto de normas para determinar até que ponto músicas geradas por IA podem chegar sem prejudicar os artistas que estejam de alguma forma ligados à nova criação.



Dessa forma, a plataforma do Google, que anunciou o pacote de regras nesta segunda (21), trabalha com o intuito de proteger os detentores de direitos autorais e criadores originais das faixas sem restringir a disponibilização de conteúdos em IA.


A medida do YouTube tem o auxílio de parceiros da indústria da música, como a Universal Music Group, e determina que a ideia da plataforma é “adotá-la com responsabilidade junto com nossos parceiros musicais”. O objetivo é criar “uma organização de confiança e segurança líder do setor”, além de “políticas de conteúdo”.


YouTube permite criação por IA mas tenta resguardar artistas


O YouTube, aliás, criou uma incubadora para assegurar responsabilidade sobre as criações, representando os interesses de distribuidoras, produtoras e artistas musicais e ajudando a plataforma a gerar ideias relacionadas ao uso da inteligência artificial.



Na tentativa de proteger os artistas, o serviço se comprometeu a desenvolver mecanismos para evitar violações.


Embora não esteja claro como esse processo se daria, é possível que seja disponibilizada uma ferramenta para que os criadores identifiquem o uso de suas propriedades e defendam as suas músicas, passando a talvez até mesmo receber royalties por elas.





0 comentário

Comments


bottom of page