top of page
  • Foto do escritorLuan Radney

Sepultura não deve lançar novo álbum de inéditas “por alguns anos”, diz Andreas Kisser


Foto: Gustavo Diakov



O lado bom de ser uma banda lendária com décadas na estrada é com o tempo a demanda por material novo começa a diminuir e dá pra aproveitar os frutos da carreira. É o caso do Sepultura, que irá comemorar 40 anos de existência com um álbum ao vivo em 2024. Nada de planos para um disco de inéditas para o futuro próximo.


O guitarrista Andreas Kisser abordou o assunto em entrevista ao podcast Everblack (transcrição via Blabbermouth). Na ocasião, comentou:


“Nada de álbum nos próximos anos. Estamos muito concentrados no disco ao vivo e nas celebrações de 40 anos. Teremos muita coisa conectada a isso. Criamos um logo, então queremos esticar, queremos gravar o disco ao vivo, celebrar e então ver o que vai rolar.”


Kisser afirma que não deseja forçar a banda — completa por Derrick Green (voz), Paulo Jr (baixo) e Eloy Casagrande (bateria) — a compor.

“Precisa haver a sensação de que temos algo novo para expressar. E nós no Sepultura acreditamos que ‘Quadra’ [álbum de 2020] ainda é muito forte, poderoso. Muitas pessoas não viram músicas do álbum ao vivo ainda, como na Austrália, então queremos tocar o máximo que der. E é um disco tão incrível de tocar ao vivo, então queremos aproveitar a experiência ‘Quadra’ o máximo que der, aí então seguir em frente.”

O novo álbum ao vivo do Sepultura

Sobre o disco ao vivo, cujos detalhes ainda não foram revelados, Andreas Kisser descreveu a proposta conceitual do projeto. O guitarrista conta que o projeto almeja capturar não só a história do Sepultura, mas também o público internacional dela.

“Estamos gravando tudo. Começamos na Europa o mês inteiro; gravamos tudo. Fomos pra Indonésia e Cingapura, gravamos lá, e agora na Austrália [a banda irá tocar no festival Good Things em dezembro] também. Então queremos colocar 40 canções em 40 cidades diferentes pelo mundo, cobrindo tudo que fizemos – os clássicos, é claro, mas também os B-sides e raridades, fazer uma história bem completa e também mostrar para onde podemos ir.”

O longo histórico de viagens do grupo deve ser representado no tracklist.

“O Sepultura tocou em 80 países em 40 anos, temos fãs por todo o mundo, e acho que é hora de termos um disco ao vivo assim pra celebrar com o público nossos 40 anos no nosso melhor momento. Estamos ótimos ao vivo. Tocando melhor que nunca. Estamos nos divertindo, então acho que será um disco ao vivo bem especial, com todas essas gravações ocorrendo. Será incrível.”

Álbuns ao vivo da banda

Anteriormente, o Sepultura já havia lançado outros três discos ao vivo: “Under a Pale Grey Sky” (2002) – embora não oficialmente reconhecido pelo grupo –, “Live in São Paulo” (2005) e “Metal Veins – Alive In Rock In Rio” (2014), este último em parceria com o grupo percussivo francês Les Tambours du Bronx.




0 comentário
bottom of page