top of page
  • Foto do escritorLuan Radney

Megadeth: acordo judicial sobre polêmica do não pagamento da arte do último álbum



E de acordo com o jornal The Hollywood Reporter, o Megadeth conseguiu solucionar o processo judicial sobre a arte de capa do último álbum da banda, o elogiado “The Sick, The Dying… And The Dead!”, lançado em 2022.


Três meses atrás, o ilustrador e designer, Brent Elliott White, responsável por capas de nomes como Arch Enemy, Death Angel, Trivium, Job For a Cowboy e autor da arte de “The Sick, The Dying… And The Dead!”, entrou com um processo contra a banda, alegando que não havia recebido pagamento ou crédito por seu trabalho.




Em meados de abril de 2021, o Megadeth havia definido o conceito e a arte que se tornariam a base para a capa de seu novo álbum. Nessa época, White diz que foi convidado a criar a arte da capa para o lançamento de um EP no qual ele também trabalhou.





Em 23 de junho de 2022, sem um acordo assinado e sem pagar nada ao artista por seu trabalho, o Megadeth lançou a arte de Elliot White. De acordo com tal processo, foi creditado ao frontman do Megadeth, Dave Mustaine, o “conceito da arte.”




Gibson/Reprodução


Na última quinta-feira (11/05), a gerência do Megadeth e Elliot White apresentaram um acordo conjunto informando ao juíz que “as partes chegaram a um acordo de princípio para a resolução desta ação”. Eles pretendem entrar com um pedido de dispersão do processo no prazo de 30 dias.


O advogado de Elliot White, Matthew Cave, da Kibler Fowler & Cave, confirmou na última sexta-feira ao The Hollywood Reporter que “o assunto foi resolvido amigavelmente”.


No processo que foi aberto em 3 de fevereiro no Tribunal Distrital dos EUA para o Distrito Leste de Nova York, White ,disse que foi contatado no início de 2020 sobre a criação de um conceito de design e arte para um próximo álbum de estúdio do Megadeth, terceiro registro da banda para o qual ele esteve envolvido no design e produção de arte.





White processou a banda, o Universal Music Group e outros por violação de direitos autorais e pediu ao tribunal uma liminar que impediria o Megadeth e o UMG de usar a arte. Ele também pediu indenização e restituição de lucros.


Nossa opinião? A mesma desde o início, era apenas questão de dinheiro e tudo foi resolvido com provavelmente mais alguns milhares de dólares sendo colocados na mesa. A pergunta que não quer calar é a seguinte: será que valeu mesmo a pena para Elliot White fazer todo esse estardalhaço? Era o terceiro registro que ele trabalhava para o Megadeth, todos estavam satisfeitos com seu desempenho e, como ele mesmo disse, nunca havia tido nenhum tipo de problema. Depois de todo esse embrólio, será que Dave Mustaine e sua gerência vão querer contar novamente com Elliot?


Se em termos de line-up, o Megadeth parece estar muito longe de demitir algum de seus membros, em outros setores da empresa é muito provável que ocorram algumas demissões…







0 comentário
bottom of page