top of page
  • Foto do escritorLuan Radney

Marcelo Nova rebate Humberto Gessinger após acusação de “chupar músicas dos outros”


(Marcelo Nova, do Camisa de Vênus e Humberto Gessinger, do Engenheiros do Hawaii (Fotos: Divulgação)


Líder do Camisa de Vênus negou copiar composições alheias e comparou ex-vocalista do Engenheiros do Hawaii a uma “véia chiliquenta”


Marcelo Nova, vocalista do Camisa de Vênus, divulgou um comunicado onde rebate uma antiga declaração de Humberto Gessinger à biografia Infinita Highway: Uma carona com os Engenheiros do Hawaii (2016) e não publicada na edição final. Na fala divulgada apenas recentemente, o ex-líder do Engenheiros do Hawaii disse que, na década de 1980, havia a percepção de que o colega de profissão era um “velho” que “estava pegando a onda” do auge do rock nacional e “chupava músicas de todo mundo”.


Em sua resposta, Nova apontou que não faz sentido a descrição de “velho” atribuída a ele na década de 1980, visto que ele tinha por volta de 30 anos na época. O músico também negou ter copiado músicas de outros artistas e lembrou que o The Jam foi creditado por inspirar a música “Passatempo”, presente no álbum de estreia homônimo do Camisa de Vênus, lançado em 1983.


O comunicado, divulgado peloWhiplash, pode ser lido a seguir:


“Vamos aos fatos. Primeiro me chamou a atenção a gratuidade das declarações do Humberto Gessinger. Então lembrei do que o meu pai sempre dizia:


- Não mexa com quem está quieto! Logo lembrei também da minha tia Nair, que durante o seu período pré-menstrual costumava enlouquecer na janela da sua casa, gritando e ofendendo qualquer um que por ali transitasse. Interessante também nunca ter pensado que um dia viria a fazer uma analogia entre minha tia chiliquenta e um cantor de pop rock.


Outra coisa curiosa nas declarações do Humberto foi ele ter me chamado de velho, quando nessa época à qual ele se refere (anos 1980) eu era um cara de trinta e poucos anos, e o fato dele ser mais jovem que eu não estabelece parâmetro entre quem é, e quem não é jovem.


Hoje, velho que estou com meus 71 anos, imagino que ele, agora um sexagenário, tenha dificuldades em aceitar a própria velhice, fato esse que provavelmente deve contribuir para a intensidade dos chiliques que o acometem e e que o colocam na condição de apenas uma ‘véia chiliquenta’.


Quanto ao ‘plágio’ por ele citado, da música ‘That’s Entertainment’, qualquer pessoa que olhe a contracapa do vinil do primeiro disco do Camisa de Vênus verá que a canção do grupo inglês The Jam foi devidamente creditada.


E depois, alguém que compõe ‘O Papa É Pop’ deveria ter vergonha ao criticar qualquer canção gravada na música feita no Brasil.”


O que havia dito Humberto Gessinger


A declaração de Humberto Gessinger sobre Marcelo Nova foi divulgada pelo jornalista Júlio Ettore, que obteve acesso a materiais até então inéditos gravados por Alexandre Lucchese, autor da biografia Infinita Highway: Uma carona com os Engenheiros do Hawaii(via Whiplash)


Perguntado sobre uma possível briga entre Nova e o primeiro baixista do Engenheiros, Marcelo Pitz, Gessinger disse não se lembrar de nada especificamente. Porém, aproveitou a ocasião para compartilhar sua opinião a respeito do do vocalista do Camisa de Vênus.


''O que acontecia com o Marcelo Nova: todo mundo sabia que ele era um velho que estava pegando aquela onda ali e ele chupava as músicas de todo mundo. Tinha aquela música do The Jam, ‘That’s Entertainment’, daí ele fazia ‘Só Pra Passatempo’, pô, chupava a letra e a música. Mas, ao mesmo tempo, ele ia pra imprensa e ‘cagava a goma’, tu é do meio, tu sabe: ‘tudo bem, deixa o cara’.”


O vídeo completo pode ser conferido no player a seguir.



0 comentário
bottom of page