top of page
  • Foto do escritorLuan Radney

Kiss: Paul Stanley explica motivo da recusa em tocar com formação original no Hall da Fama


Em aparição no programa “The Howard Stern Show” da SiriusXM, o vocalista/guitarrista do Kiss, Paul Stanley, falou novamente sobre sua insatisfação com o fato do Rock Hall of Fame não ter induzido os atuais membros do Kiss, Eric Singer (bateria) e Tommy Thayer (guitarra), junto a formação original.


“A hipocrisia é que não somos uma banda que eles gostem. Eles nos mantiveram de fora por 15 anos de propósito. E outras bandas que eles abraçam, eles induzem as mães e compositores das pessoas e todas essas pessoas. E conosco, foi realmente injusto.”

Questionado por Howard Stern, do porque eles não haviam se apresentado na cerimonia de indução, em 2014,


Stanley diz:

“Porque tínhamos muito orgulho dessa formação, que é o KISS, e tem sido o KISS por 20 anos. Não são recém-chegados. Esta é a banda. Estaremos de volta aos estádios da América do Sul no mês que vem. Estivemos lá há cinco meses. Estávamos no Japão. Essa é a banda que carregou a bandeira e a levou, realmente, a outro patamar. Esta é a banda que eu sempre sonhei que seria, e para nós, é como subimos no palco… Eles estavam exigindo, honestamente, que tocássemos com os dois caras originais, Peter Criss e Ace Frehley, e neste ponto, que seria humilhante para a banda e também confundiria algumas pessoas. Porque se você visse pessoas no palco que se parecessem com o KISS, mas não soassem assim, talvez nos chamassem de PISS.”

Gene Simmons continua:

“Estivemos em todo o mundo, ao longo de décadas, com esta formação atual. É importante notar que nunca vi um único banner ou placa que mencionasse qualquer outra formação. Quando Tommy toca um solo os fãs gritam “Tommy! Tommy!”, eu nos bastidores digo ‘Tommy!’. Quando Eric faz um solo, ‘Eric! Eric!’. Eles estão levantando os punhos. É legítimo. Ninguém está no KISS e fazendo isso pelos números.”


0 comentário

Comments


bottom of page