top of page
  • Foto do escritorLuan Radney

Filho de Rita Lee diz que nunca irá lançar música da mãe com voz de IA



O debate sobre as inteligências artificiais está aquecido há semanas e muito tem sido falado sobre o uso da tecnologia para “ressuscitar” artistas queridos pelo público.


Segundo o site Tenho Mais Discos Que Amigos, agora, foi a vez de Beto Lee, filho da saudosa Rita Lee, colocar lenha na discussão ao publicar no Threads sua opinião sobre o tema.





No âmbito nacional, vale lembrar que houve recentemente a polêmica propaganda em que Maria Rita faz um dueto do clássico “Como Nossos Pais” com sua mãe, Elis Regina, falecida em 1982 aos 36 anos.


Em postagem feita nesta quarta-feira (2) na rede social ligada ao Instagram, Beto Lee mostrou uma opinião diferente e disse que jamais permitiria que a voz de sua mãe fosse replicada por uma IA:

Eu nunca faria um IA da voz da minha mãe para lançar música com ela cantando de mentira. Isso nunca vai acontecer, gente. Nem nunca o IA será público. Mas a tecnologia impressiona.

A publicação, claro, gerou diferentes opiniões e teve quem reagisse de forma contrária à posição de Beto. A jornalista e escritora Aurê Aguiar, por exemplo, destacou o alcance que a possível reprodução poderia provocar:


Não vejo o menor problema nisso. Adoraria a voz da sua mãe perpetuada. O que me chocaria, como fã, seria ouvir a voz da sua mãe reverberando uma vibração antagônica àquela que ela emanou enquanto estava materializada aqui. Como foi aquele ultraje com a Elis e o Belchior.




Acústico MTV de Rita Lee foi lançado em vinil


Como a gente te contou aqui, o projeto Acústico MTV, lançado por Rita em Junho de 1998, chegou às lojas pela primeira vez em vinil duplo laranja-avermelhado e marmorizado com direito a capa gate-fold.


O disco contou com diversas participações especiais, incluindo Cássia Eller em “Luz del Fuego”; Titãs em “Papai, Me Empresta o Carro”; Paula Toller em “Desculpe o Auê”; Milton Nascimento em “Mania de Você” e até uma versão especial de “Gita”, de Raul Seixas.







0 comentário

Comments


bottom of page