top of page
  • Foto do escritorLuan Radney

Em novo vídeo, Roger Waters culpa EUA e pede fim da guerra na Ucrânia


Roger Waters voltou a fazer um discurso culpando os EUA e urgindo a Ucrânia a acabar com a guerra civil, em uma fala que tem sido interpretada como pró-Rússia.


Waters acusa a Ucrânia de ter provocado o presidente russo, Vladimir Putin, e de ter realizado um “ato flagrante de guerra” e um “ato extremo de terrorismo global”. A fala foi publicada em um vídeo no canal oficial do artista no YouTube.


Embora tenha condenado a invasão russa da Ucrânia, que considerou ilegal, Waters também responsabilizou os EUA e a OTAN pelos conflitos no país e acusou o governo americano de ser um dos seus principais provocadores.


Durante o discurso, Waters ainda afirmou que os EUA deveriam ter ouvido Putin em 2007 e “guiado todos para uma Europa mais segura”. Ele também acusou o país norte-americano de ter explodido o gasoduto Nord Stream, que fornece energia russa para a Europa, e exigiu que a Ucrânia interrompa a guerra.


Dirigindo-se ao presidente Biden, Waters diz:

Você e Anthony Blinken e Victoria Newland e Jake Sullivan e o resto dos neoconservadores belicistas no centro do governo aqui em Washington, junto com os estados vassalos na OTAN, são os principais provocadores. Chega! Exigimos mudanças.


Roger Waters na ONU


Waters recentemente discursou no Conselho de Segurança da ONU e condenou a invasão russa da Ucrânia, mas também afirmou que a guerra não foi desencadeada sem provocação. Ele concluiu o discurso com um apelo por mudanças nos EUA e na OTAN.

Naquela ocasião, ele disse:

A invasão da Ucrânia pela Federação Russa foi ilegal. Eu a condeno nos termos mais fortes possíveis. Além disso, a invasão russa da Ucrânia não foi não provocada, então eu também condeno o provocador nos termos mais fortes possíveis.

Em seu novo vídeo, Roger Waters inclui trecho de sua fala na ONU ao dizer que estava fazendo “a coisa certa”.


Roger Waters volta a dizer que não passa pano para Putin


O novo discurso de Waters foi amplamente divulgado nas redes sociais e gerou controvérsias. Alguns críticos acusaram Waters de ser um apoiador do governo russo e de estar desinformado sobre a situação na Ucrânia.


Por outro lado, fãs correram para os comentários para aplaudir o ex-Pink Floyd por “ousar falar a verdade”. Ele destacou, aliás, que não estava “passando pano” para o líder russo:


Não estou encontrando desculpas para o Sr. Putin, mas basta voltar 30 anos na história. [Os EUA] podiam ter feito melhor, como o presidente Gorbachev. Podiam ter cumprido a promessa de não expandir a OTAN nas proximidades da fronteira russa.


A fala de Waters foi lançada em apoio ao movimento Rage Against The War Machine, que fez uma manifestação em Washington, DC, no último dia 19 de fevereiro. O vídeo de quase 8 minutos pode ser conferido na íntegra abaixo.


Roger Waters cancelado?


Políticos da cidade de Colônia, na Alemanha, pediram o cancelamento de um show de Roger Waters, citando a postura política controversa do músico sobre a guerra da Rússia na Ucrânia e acusações de antissemitismo.


A maioria dos membros do conselho da cidade, de ambos os lados do espectro político, enviou uma carta aberta à administração da Lanxess-Arena, o local que sediará a apresentação em 9 de maio.


Eles afirmaram que não conseguem entender por que os organizadores do evento dariam um palco para Waters e pediram que a administração “faça tudo o que puder para evitar o show”.


No entanto, a câmara de vereadores não tem influência direta sobre o cancelamento, já que a arena é um local privado.



0 comentário
bottom of page