top of page
  • Foto do escritorLuan Radney

Def Leppard: Vivian Campbell e sua batalha contra o câncer


Vivian Campbell / Reprodução / Facebook


Vivian Campbell, guitarrista do Def Leppard, ex-DIO, enquanto cedia entrevista ao podcast “Lymphoma Voices”, contou sobre sua luta contra o linfoma de Hodgkin, com o qual lhe diagnosticaram no ano de 2013. Campbell Disse:


“Ainda estou lidando com o linfoma. É como uma expressão americana, ‘whac-a-mole’. Você combate algo e então ele aparece em outro lugar. Mas tem sido uma batalha bastante consistente, mas não tem sido muito difícil para mim. Eu lido com isso bem. Consegui viver minha vida. Pude continuar em turnê. Durante a maior parte desses 10 anos, na verdade estive fazendo imunoterapia. Começando em junho de 2015, comecei a tomar um medicamento chamado pembrolizumabe. Fiz isso como parte de um ensaio clínico. Discutimos algumas opções. E eu tinha ouvido falar dessa imunoterapia, e era um tratamento muito incipiente e eu estava realmente pressionado. Lembro que na época meus médicos queriam que eu fizesse radioterapia e talvez uma combinação de radioterapia e quimioterapia. E eu pensei: ‘Bem, vamos tentar essa coisa de imunoterapia. Vamos ver se isso funciona.’ Então consegui escolher. Fico feliz em dizer que funcionou bem para mim. Então, de junho de 2015 até essencialmente o final de 2022, consegui, apenas uma vez por mês, entrar e fazer uma infusão de pembrolizumabe e simplesmente cuidar da minha vida, e foi muito, muito fácil para eu fazer. Sinceramente, a parte mais difícil foi agendar todas as minhas viagens. Houve efeitos colaterais muito, muito sutis e muito benignos. Para mim, tolerei muito, muito bem o tratamento. E isso estava funcionando muito bem. Mas meio que perdeu a eficácia há um ano, um ano e meio. E poderíamos dizer nas varreduras. De qualquer forma, eu faria exames a cada três ou quatro meses, apenas por uma questão de protocolo, para ver o que estava acontecendo. E meu oncologista vinha me dizendo há dois anos que o pembrolizumabe não estava sendo tão eficaz como antes e que teríamos que considerar tratamentos diferentes. De qualquer forma, em novembro do ano passado, fizemos uma combinação de pembrolizumabe com três quimioterápicos. Me perdoe porque não consigo lembrar os nomes dos medicamentos quimioterápicos. Mas de qualquer forma, fiz um tratamento, seis ciclos daquela terapia combinada de três quimioterápicos e pembrolizumabe. Infelizmente, isso não me colocou em remissão; ficamos um pouco aquém disso. Então, recentemente, no final de julho, comecei a fazer seis ciclos de uma terapia combinada de um medicamento quimioterápico chamado brentuximabe e um medicamento imunoterápico chamado nivolumabe. Estou na metade disso. Já fiz o terceiro estágio cíclico. Eu faço o ciclo quatro no início da próxima semana. Até agora tudo bem. Eu tive que fazer esse corte de cabelo deslumbrante ontem porque o brentuximabe tem queda de cabelo como efeito colateral. Então, eu poderia começar a dizer nas últimas semanas, toda vez que tocava meu cabelo, ele caia. Então, sou um pouco mais proativo ao cortar super, super curto.”

A fim de explicar, se ele já se acostumou com seu corte de cabelo bem mais curto, Vivian disse:

“Há 10 anos, quando comecei a fazer a quimioterapia ABVD, foi quando meu cabelo caiu pela primeira vez. Eu tive cabelo comprido durante toda a minha vida adulta. Eu literalmente comecei a deixar meu cabelo crescer quando tinha 11 ou 12 anos de idade, e ele está ficando cada vez mais longo. E ele se torna parte da sua identidade quando permanece por tanto tempo, especialmente como guitarrista. E para ser honesto, foi uma coisa reconfortante para mim porque me deu algo para me esconder quando estava no palco. Sou naturalmente uma pessoa muito tímida e me identifico como músico. Não me identifico muito com ser um artista, embora, para ser honesto comigo mesmo, isso seja realmente o que fazemos no DEF LEPPARD. Sim, somos músicos e compositores, escrevemos músicas e fazemos discos e gravamos músicas, mas quando saímos em turnê, somos artistas, e isso faz parte. E meu cabelo me deu algo para me esconder. Foi uma grande parte da minha identidade durante grande parte da minha vida. Então foi difícil abandonar isso da primeira vez novamente.’”

Ele acrescentou:

“Eu estava morando em Los Angeles na época e fui a um fabricante de perucas teatrais quando me disseram que meu cabelo iria cair. A peruca era muito, muito realista para mim. Era muito cara e muito realista. E eu poderia ter feito a transição para isso, e as pessoas podem não ter notado – além da perda de peso. Quero dizer, eu definitivamente estava perdendo muito peso, então eu estava com uma aparência um pouco mais magra. Mas a coisa da peruca simplesmente não parecia certa para mim. E eu sei que é diferente para todos os outros. Eu literalmente usei aquela peruca, eu acho, por cerca de 12 ou 13 minutos dirigindo para casa depois de visitar o cara da peruca e me preparar para isso. E eu parei. Minha esposa estava comigo e. E eu simplesmente tirei isso da minha cabeça e nunca mais coloquei de volta desde então. E decidi apenas tornar público meu diagnóstico”.

Vivian Campbell é membro do Def Leppard desde 1992, anteriormente, ele ficou famoso por seu período como guitarrista da carreira solo de Ronnie James Dio. Ele fez parte da banda solo de DIO entre os anos de 1982 a 1986, gravando os principais clássicos da banda. Além disso, ele também é guitarrista da banda Last in Line desde 2012, assim como o baterista ex-Black Sabbath, Vinny Appice.



0 comentário
bottom of page