5582697802
 
ANOS 80-2.jpg

Bonecas

Batepalminha.jpg

Bate Palminha

Era bem grande e mexia com as mãos como se estivesse batendo palma, enquanto cantava uma musiquinha: “Bate palminha, bate, palminha de São Tomé; bate palminha, bate, pra quando papai vier!” Muitas bonecas foram quebradas porque as meninas não se conformavam de as mãos não se encostarem uma na outra na hora de bater palminha.

bem me quer.jpg

Bem me quer

Boneca meio estranha, mas adorada pelas meninas. Tinha cabelos de lã e dois bochechões. Os braços viviam abertos, como se estivessem sempre prontos para dar um abraço nas donas. As meninas penteavam os cabelos da boneca como se fossem de nylon. O resultado ficava pavoroso: os fios eram arrancados e várias delas acabavam carecas

BebeCoração.jpg

Bebê Coração 

Vinha com um estetoscópio para se ouvir as batidas do coração do bebê.

Boneca-Anglica-Anos-80.jpg

Boneca da Angelica

Vinha com uma fita cassete com seis grandes sucessos da Angélica. Foi lançada em 1989 e tinha inclusive aquela manchinha na perna, marca da apresentadora.

emilia.jpg

Emilia

Era bem parecida com a personagem do Sítio do Picapau Amarelo e tinha cabelos e roupas coloridas. Apareceu em vários modelos ao longo da década.

Fofão.jpg

Boneca da Angelica

Fofão era um personagem do programa Balão Mágico, representado pelo ator Orival Pessini (que mais tarde representou o Patropi da Escolinha do Professor Raimundo). Fez tanto sucesso que além de ter seu próprio programa, teve seu boneco fabricado. O boneco virou febre. Quem não queria um? Eu queria!

Mas com certeza o que o torna inesquecível é a lenda que se formou. Dizia a lenda que o ator Orival Pessini havia feito um pacto com o diabo para obter fama, e por isso mandou que o fabricante colocasse um punhal dentro de cada boneco. Outros diziam que era o fabricante que havia feito o tal pacto, e não o ator.

O resultado desse boato foi milhares de crianças jogando seus bonecos no lixo ou destroçando-os para descobrir se havia ou não o tal punhal. Muitos juram até hoje que acharam.

Verdade ou não, alguns dizem que foi um golpe de marketing, pois muitos compraram só para constatar se a história do punhal era lenda ou fato. Outros dizem que foi golpe da concorrência para acabar com o sucesso do personagem.

GanhaNenê.jpg

Ganha Nenê

Em 1989, a Mimo lançou a Ganha Nenê, “a única boneca grávida do mundo”. As meninas podiam brincar de duas formas: com a boneca grávida, com um barrigão, ou depois de ter filho, já que de dentro da sua barriga saía um bebezinho (e ai, dava para brincar também com o bebê).

Fofolete.jpg

Fofolete

A “bonequinha da sorte” da Trol, com seus 7 cm, tinha um gorro e vinha dentro de uma caixinha (um pouco maior do que uma caixa de fósforos).
Foi lançada em 1978 e se tornou uma das sensações das meninas da geração 80.

Garfield.jpg

Garfield

O gato mais mal-humorado do planeta ganhou uma versão em pelúcia que as meninas simplesmente se apaixonaram.

maezinha.jpg

Maezinha 

A graça maior não era brincar, e sim ficar observando, já que ela ficava cantando e embalando seu filhinho.

MagicFace.jpg

Magic Face

Passando água gelada no rosto e nas mãos dessa boneca, ela ficava maquiada e com as unhas pintadas. Com água morna, saía tudo.
As meninas adoravam e se divertiam muito com essa boneca.

Meninaflor.jpg

Menina Flor

“A boneca encantada que vira flor e vira boneca outra vez. E vira-vira sem parar, só para brincar com você!” Aparentemente, era um vaso de brinquedo, mas, puxando as flores aparecia a cabeça da boneca (as flores eram o seu chapéu). Virando o vaso pelo avesso, aparecia o vestido da boneca. Era um encanto! Foi lançada em 1988 e teve direito à versão mini: a Baby Flor, que chegou às lojas um ano depois.

meu bebe.jpg

Meu Bebê

Uma das preferidas das meninas dos anos 80, essa boneca era carequinha e vinha com um fiapo de cabelo na frente, com uma fita. E tinha boneco também, afinal, as garotas podiam ser “mães” de meninos.
Mais tarde foram lançados o Bebezinho, o Bebê e o Bebezão, este último era enooooorme!

Tchibum.jpg

Tchibum 

A boneca que sabia nadar!!!

rainbowbrite.jpg

Rainbowbrite

Quando o mundo parece tristonho e sem cor. Rainbow Brite faz da sua vida um arco-íris de amor.” 
Essa boneca, de cabelos amarelos e roupa de arco-íris, era desejada pelas garotas porque “veio do Reino do Arco-Íris. Era a campanha certa para conquistar a meninada.

moranguinho.jpg

Moranguinho

Lançadas pela Estrela no início da década de 80, as bonecas da coleção moranguinho tinham aroma e nome de frutas. A primeira a ser lançada foi a moranguinho, que era ruivinha. Depois vieram as outras: uvinha, pesseguinho, maçãzinha, cajuzinho etc. 
Além das bonecas foram lançados vários produtos como a Confeitaria da Moranguinho, a Salinha de Jantar, carruagem etc.

langolango.jpg

Lango Lango

 

Lango Lango era uma espécie de fantoche com um mecanismo que fazia o boneco dar socos. Eram bem esquisitos e coloridos. 

Provavelmente a intenção era ter mais de um para que brigassem entre eles. Mas com certeza essa era a última coisa que as crianças faziam, pois era muito mais legal dar socos nos irmãos ou amigos

MeuQueridoPônei.jpg

Meu querido Ponei

Lançados pela Estrela na década de 80, cada um tinha um símbolo e uma cor diferente. Além dos pôneis também tinha a casa dos pôneis e acessórios, como cercadinho e escova para pentear a crina e o rabo. 

A coleção teve três gerações. A primeira durou até o início da década de 90. A segunda foi lançada no final da mesma década, mas não chegou no Brasil. A terceira foi lançada no início dos anos 2000 e dessa vez foi lançada também no Brasil.

Embora a terceira geração seja bonitinha, ainda prefiro a primeira, pois tinha muito mais encanto. Talvez seja saudosismo da minha parte, a final de contas foi a geração que eu curti e que me traz boas lembranças.